O relatório do Caos

O relatório do Caos

Este é um resumo do artigo “The Chaos Report” do Standish Group.
Neste artigo é realizada uma analogia entre a construção de pontes e o desenvolvimento de softwares. Algumas das diferenças citadas são: a capacidade de entrega no prazo e orçamento acordados e a qualidade final do produto. Sendo que, em todos os aspectos apresentados, a construção de uma ponte obtinha melhores reultados.

Como principais razões para os bons resultados da construção de pontes, são apontadas o extremo detalhamento e imutabilidade do design e a investigação das causas de insucesso de projetos anteriores.

Tendo este cenário em mente, o artigo visa identificar o escopo das falhas de projetos de software, os principais fatores que causam a falha de um projeto e os pontos-chave para se obter um projeto de sucesso.

Segundo uma pesquisa, feita nos Estados Unidos, a situação dos projetos de software é caótica. Como amostra deste cenário, podemos citar o cancelamento de aproximadamente 31% dos projetos, o baixíssimo percentual de projetos entregues no prazo e custo acordados, a falta de aderência dos requisitos originalmente propostos com o produto entregue e a enorme perda econômica das empresas com a perda de oportunidade.

Uma das principais causas pela qual projetos extrapolam os custos e prazos são os “recomeços”.  Para cada 100 projetos iniciados existem 94 recomeços, não existindo necessariamente apenas um recomeço por projeto. Projetos de software excedem seus orçamentos e prazos, em média, 189% e 222% respectivamente.

Perfis de projetos de sucesso e falha

Para entendermos melhor porque projetos são bem-sucedidos e mal-sucedidos, precisamos conhecer que características são inerentes a estes projetos.

Abaixo são apresentadas as características desses projetos e suas respectivas percentagens de resposta:

  • Projetos bem-sucedidos possuem envolvimento com o usuário(15.9%), suporte da gerência executiva(13.9%), clareza dos requisitos(13%), planejamento apropriado(9.6%) e expectativas realistas(8.2%).
  • Projetos que excedem custo e/ou orçamento possuem falta de entrada de usuário(12.8%), incompletude de requisitos e especificações(12.3%), mudança de requisitos e especificações(11.8%), perda de suporte da gerência executiva(7.5%) e incompetência na tecnológia(7%).
  • Projetos que chegam a ser cancelados são comprometidos pela incompletude de requisitos e especificações(13.1%), perda do envolvimento do usuário(12.4%), perda de recursos(10.6%), expectativas surrealistas(9.9%) e perda de suporte da gerência executiva(9.3%).

Diversos estudos de caso comprovam que quanto mais fatores de sucesso um projeto possui maiores são suas chances de serem casos de sucesso. Obviamente este cálculo leva em consideração o grau de criticidade que cada fator possui, sendo assim, o “envolvimento do usuário” possui peso maior do que um “time focado”.

A ponte para o sucesso

O estudo do Standish Group foi profundo o suficiente para ser capaz de proporcionar uma verdadeira solução para as assustadoras taxas de insucesso dos atuais projetos. Para tal, algumas práticas são recomendadas, são elas:

  • Assim como pontes, cada grande falha de software deve ser investigada, estudada, relatada e compartilhada;
  • Fazer o gráfico de “pontencial de sucesso” para avaliarmos as reais chances de sucesso do projeto;
  • Entregas pequenas e constantes, falicitando a integração e validação do produto.

Todo sucesso é baseado em sorte ou falha. Se você começar com sucesso, não aprenderá nada além de arrogância. Contudo, se você começar com falha e aprender a avaliar isto, você também aprende a prosperar. Falhas geram conhecimento.

Com o conhecimento que você adquire você ganha sabedoria, e é com esta sabedoria que você pode tornar-se verdadeiramente bem-sucedido.